NOTÍCIAS
ENTRAJUDA em Braga - Banco Alimentar Contra a Fome de Braga inaugura novas instalações e celebra protocolo de parceria com a ENTRAJUDA para apoiar as instituições do distrito com gestão e organização, promovendo o voluntariado
20-01-2014

De acordo com os dados da ENTRAJUDA, ao longo de 2013 foram apoiadas perto de 1300 instituições, que concederam apoio a 354 mil pessoas comprovadamente carenciadas

 

PROTOCOLO ENTRAJUDA BRAGA 

 

O Banco Alimentar Contra a Fome de Braga trabalha neste distrito há cinco anos e, com o apoio de cidadãos, voluntários, instituições e empresas, tem angariado, recolhido, armazenado e distribuído produtos alimentares que chegam regularmente a famílias comprovadamente carenciadas, através de Instituições Particulares de Solidariedade Social. Tanto a recolha como a distribuição são feitas ao nível do distrito de Braga, onde, neste momento, são apoiadas cerca de 11 mil pessoas, através de 103 instituições.

 

A ENTRAJUDA, instituição particular de solidariedade social, que visa apoiar outras instituições ao nível da organização e gestão, com o objectivo de melhorar o seu desempenho e eficiência em benefício das pessoas carenciadas, foi criada em 2004, fruto da experiencia e conhecimento do Banco Alimentar Contra a Fome.

Assente na mobilização e envolvimento de pessoas e empresas de boa vontade, a ENTRAJUDA efectua um diagnóstico dos problemas e necessidades das instituições, propõe soluções, mobiliza parceiros e voluntários, implementa soluções e avalia impactos e desempenhos.

Com diversas respostas, para apoio às organizações do sector social, como o Apoio em Gestão e Organização, o Banco de Bens Doados, o Banco de Equipamentos, a Bolsa do Voluntariado, a ENTRAJUDA alarga agora a actividade à região de Braga. A cerimónia de assinatura dos contratos de utilização da marca é celebrada no dia 21 de Janeiro, pelas 12h, na sede do Banco Alimentar de Braga, Rua do Carvalho, nº 35 – em Semelhe.

 

De acordo com os dados da ENTRAJUDA, ao longo de 2013 foram apoiadas 1280 instituições, que concederam ajuda a mais de 354 mil pessoas comprovadamente carenciadas.

Tem-se verificado uma crescente procura de apoio e do número de pedidos de assistência a pessoas carenciadas, em linha com o agravamento da situação económica e com o crescimento súbito e muito significativo do desemprego, que tem vindo a afectar de forma um tanto ou quanto indiscriminada um cada vez maior número de famílias portuguesas.

 

O contrato de utilização de marca “ENTRAJUDA” e das submarcas “Banco de Bens Doados”, “Banco de Equipamentos” e “Bolsa do Voluntariado” Alimentar será celebrado com a AREA – Associação de Recolha de Excedentes Alimentares, que representa, desde 2008, o Banco Alimentar Contra a Fome na região. O grupo de voluntários, liderados por Isabel Varanda, tem vindo a ser acompanhado e formado pela ENTRAJUDA na cultura e modo de funcionamento vai permitir potenciar resultados e gerar valor social tornado a rede de apoio social mais eficiente e eficaz.

 

Sobre o Banco Alimentar de Braga

Todo o trabalho desenvolvido pelo Banco Alimentar Contra a Fome de Braga, desde a data da sua abertura em 2008 e até ao presente, foi realizado única e exclusivamente com o recurso a trabalho voluntário e com o apoio de pessoas e empresas locais. Propondo-se minorar o problema da fome no distrito de Braga e apesar dos parcos recursos disponíveis foi possível angariar, durante o ano de 2012, cerca de 550 toneladas de alimentos, distribuidos a 103 instituições, que apoiaram 11.300 pessoas carenciadas.

 

Sobre a ENTRAJUDA

A ENTRAJUDA é um projecto inovador em Portugal, na área da solidariedade social que tem como objectivos:

. permitir às instituições melhorarem os serviços prestados aos beneficiários, dotando-as de um conjunto de instrumentos e recursos de gestão e de organização capazes de potenciar a eficiência dos seus meios e a eficácia dos seus resultados;

. mobilizar e facilitar o envolvimento de pessoas e empresas que pretendam associar-se com a sua boa vontade, colocando à disposição das instituições de solidariedade social o seu trabalho, o seu conhecimento, a sua experiência, os produtos e serviços que produzem ou fornecem.

Nasce em 2004 fruto da experiência no terreno adquirida no Banco Alimentar Contra a Fome, e da constatação que mais do que o “pão” poderia ser dada às instituições do sector social “gestão e organização”, com uma lógica estruturante e não assistencialista virada para as instituições sem fins lucrativos, estando assente na construção de uma Cadeia de Solidariedade e na mobilização de esforços e boas vontades de Benfeitores, Parceiros e voluntários.

Tem constituído desde a criação diversas respostas destinadas a potenciar o trabalho das instituições de solidariedade e mobilizar voluntários qualificados.

 

A Bolsa do Voluntariado, o maior site português de voluntariado -  com 24 mil pessoas inscritas e 1400 instituições registadas - foi  concebida para permitir o encontro on line entre a procura e oferta de trabalho voluntário.

Trata-se de um projecto de âmbito nacional, transversal a toda a sociedade e economia, que fomenta o exercício da Cidadania e da Responsabilidade Social. Disponível para voluntários individuais ou empresas, A Bolsa do Voluntariado permite a identificação de preferências por área de actuação, competência/interesse ou destinatário, incluindo um Banco de Produtos (procura e oferta de produtos não alimentares com utilidade social). As instituições inscritas são seleccionadas pela ENTRAJUDA (inscrição disponível após validação da candidatura), sendo a inscrição de voluntários totalmente livre.